Guerra dos Farrapos

Taxonomia

Código

Nota(s) de âmbito

Nota(s) de fonte(s)

Nota(s) de exibição

Termos hierárquicos

Guerra dos Farrapos

Termos equivalentes

Guerra dos Farrapos

Termos associados

Guerra dos Farrapos

2 Descrição arquivística resultados para Guerra dos Farrapos

2 resultados diretamente relacionados Excluir termos específicos

Catálogo seletivo da Revolução Farroupilha (1835/1845). Fontes: Correspondências dos Juízos de Paz (1836); Correspondências das Câmaras Municipais (1839/1843); e Correspondências do Ministério da Marinha (1837/1844)

Este catálogo abrange as fontes documentais: correspondências dos Juízos de Paz do período 1836; correspondências das Câmaras Municipais do período 1839/1843; e correspondências da Presidência da Província com o Ministério da Marinha do período 1837/1844, que foram transcritos, arrolados em ordem cronológica e remetidas ao número da página onde está o documento. No entanto, não se esgotou todas as fontes do acervo do APESC sobre o assunto.

Arquivo Público do Estado de Santa Catarina

Inventário analítico dos Ofícios das Câmaras Municipais para Presidência da Província (1845/1847), v. 7

Neste volume foi organizada a Subsérie Ofícios, do período de 1845 a 1847. Encontramos também Cópias de Ofícios e de Atas, Comunicados e Carta, e um documento datado de 1842 e outro de 1844. Encontramos nesses códices/volumes documentos encaminhados para o Presidente da Província, para o Secretário do Governo Provincial, para os Presidentes das Câmaras e Vereadores. Os lugares de origem dos documentos são: Desterro, Vila de Laguna, Laguna, Lages, Vila de São José, Vila de São Miguel, São Miguel, Porto Belo, São Francisco e Rio São Francisco. Os documentos tratam na sua maioria de assuntos administrativos das Câmaras Municipais, tais como: nomeações, eleições, posse, juramentos etc; Leis, Avisos, Atas, Portarias, Decretos, Atos, Falas, Resoluções, Regulamentos, Regimentos, Posturas etc, e ainda, da situação das escolas, dos alunos e dos professores de primeiras letras; pedidos de objetos para as escolas, Comissão Permanente de Inspeção das Escolas de instrução primária; sobre um crime praticado por José Feliciano Dias da Costa contra seus alunos no Rio de Janeiro; Fundação da Gazeta Oficial (Corte); distribuição do Periódico da Sociedade Auxiliadora da Industria Nacional; proibição aos médicos e cirurgiões em se tornarem boticários, e de se vender ou distribuir remédios secretos, sobre a existência de “nitreiras” naturais, e a proteção do Imperador ao Hospital da Caridade, propagação do fluido vacínico e de vacinadores municipais, aparecimento da febre amarela trazida pelos navios, enfermidades nas Ilhas Canárias, e surto de Bexiga (Porto Belo); iluminação pública; proibição de curraes de peixe e da queima de caeira, de abate de animais em local sem asseio, e da derrubada de madeiras de Lei pela construção naval, proibição de sepultar corpos nos templos devido à salubridade pública; Guarda Nacional, situação das cadeias e dos presos pobres, ameaça dos “gentios”, aldeamentos dos índios, término da Guerra Civil na Província do Rio Grande do Sul; situação dos expostos; nascimento do Príncipe D. Affonso e de mais uma Princesa brasileira; visita do Imperador e sua esposa as Províncias do Império; falecimento do Príncipe Dom Affonço (15/07/1847); descrição Topográfica e Política do Rio São Francisco por Ignácio Accioli Serqueira da Silva; missões de catequização e civilização dos índios; questões de terras e de limites, criação da Colônia do Príncipe Dom Affonço, e menção das Colônias Nova Itália, Boa Vista e de Trombudo.

Arquivo Público do Estado de Santa Catarina